Topo
Quicando

Quicando

Tem gente tentando se passar por mulher em tuítes preconceituosos

Susana Cristalli

02/07/2019 17h18

Alguns tuítes fazendo shaming de profissões braçais causaram revolta nos últimos dias, mas aparentemente era tudo armação.

Olha só para este tuíte abaixo. Se você ler o conteúdo, provavelmente a primeira coisa que você vai pensar vai ser: "nossa, que podre, como assim ter vergonha do pai por ser pedreiro?".

Revoltante, não? Dá vontade de apenas reagir por impulso.

Outra coisa que você vai provavelmente pensar, olhando rapidamente para o avatar, é que o tuíte foi escrito por uma menina.

Foi exatamente o que pensaram muitas das pessoas que reagiram por impulso.

Choveram replies e o assunto foi longe. Até sem responder diretamente, muitos comentaram a respeito disso Twitter afora.

E fizeram memes duvidosos.

Nas voltando ao nosso tuíte, olha como o papo continua.


Bizarro, né? Justificar essa opinião escrota – e racista, já que a foto é de uma pessoa negra – com uma suposta crítica social rasa e sem noção dessas?

O perfil ainda continua o discurso apelando para questões de saúde mental, e tudo parece vagamente verídico pois, se você frequenta o Twitter, já pode ter visto argumentos desse tipo. Acontece mesmo de alguém jogar a carta do feminismo ou da saúde mental sem muita coerência. Mas, aqui, algo de errado não está certo.

A dança dos replies segue até chegar nas condições ideais de temperatura e pressão para despertar o auge do hate.

Se tudo isso parece até uma coleção de clichês escolhidos a dedo, é porque não passa disso mesmo. Agora repare em como está este mesmo tuíte hoje.

A pessoa parou de fingir que é uma mulher, pois não é. E se as pessoas não tivessem ficado tão revoltadas com o conteúdo feito sob medida para provocar, teriam notado que a arroba @HOMEMCORDIAL era meio suspeita.

Em datas bem próximas (como você pode ver por esta resposta), outros perfis de supostas meninas tuitaram algo bem parecido e muita gente acreditou e se revoltou (até veículos de comunicação caíram nessa).

 

Curioso.

 

Esse perfil, @adelejararaca, já havia tuitado uma notícia fake sobre alguém ter feito cocô (?) na frente do show do BTS em São Paulo. O perfil havia sido prontamente desmascarado na ocasião.

O propósito dessa ação parece ser apenas o de "causar" e desacreditar feministas. Seguem sugestões de coisas para fazer em vez disso: fazer a própria cama, dar um jeito na casa, ir buscar algo que a mãe precisa no supermercado. De nada.

Colaborou: Aline Ramos

 

Veja também:

As dublagens do Kaíque aumentam em dez anos qualquer expectativa de vida 

Chris Evans conheceu criadora do meme e a história toda é ainda mais legal 

A fase paz e amor da Taylor Swift durou dois singles 

 

Sobre as autoras

Juliana Kataoka, jornalista e redatora, trabalhou no BuzzFeed Brasil, em agências de publicidade e outros veículos. Não consegue sair das redes sociais, mas jura que tenta. Redes sociais: Twitter Facebook Instagram
Susana Cristalli, jornalista de formação, redatora de tudo um pouco e tradutora. Moradora da internet, acorda cedo pra varrer a calçada cheia de memes do dia anterior. Redes sociais: Twitter Facebook Instagram

Sobre o Blog

Vamos contar pra você, do nosso jeitinho, as histórias que mais quicaram na internet durante esta semana e que você talvez tenha perdido, ou não.