PUBLICIDADE
Topo

O Flamengo conseguiu unir até as culturas gay e hétero na comemoração

Susana Cristalli

25/11/2019 14h59

A vitória do Flamengo na Libertadores foi uma comoção nacional, não deixou ninguém indiferente. Agora, quando se fala de futebol, um dos lugares comuns mais disseminados é que, salvo na Copa, só heterossexuais se interessam pelo esporte, né? O jogo de sábado mostrou que não é bem assim.


O fandom do Flamengo estava pronto para uma divulgação pesadíssima!

Claro que o estereótipo tem algum respaldo na realidade. As torcidas não são, historicamente, ambientes livres de homofobia, machismo e outras fofurinhas desse tipo. Mas ninguém pode impedir ninguém de gostar de futebol, amada.

E depois de um acontecimento futebolístico que mexeu com todo o país – por uma vez, de forma majoritariamente positiva – vimos muitos tuítes de comemoração tipo este.


Isso mesmo, o próprio time usou gírias LGBTQ para comemorar!

Tem mais: se uma diva pop como a Ludmilla postou a respeito, está consolidada a união entre culturas gay e hétero na comemoração.

E não foi pouca comemoração!

E os heteros deveriam mais é se sentir honrados por isso, em vez de reclamar ou zoar.

Só resta concluir que os programas esportivos estão deixando de atender a um nicho de público que existe.

Ia ser uma abordagem bem interessante.

Acho que todos teríamos a ganhar com narrações como esta.

Sem falar na oportunidade que se abre para releituras dos hinos. Nenhum defeito.

Sobre as autoras

Juliana Kataoka, jornalista e redatora, trabalhou no BuzzFeed Brasil, em agências de publicidade e outros veículos. Não consegue sair das redes sociais, mas jura que tenta. Redes sociais: Twitter Facebook Instagram
Susana Cristalli, jornalista de formação, redatora de tudo um pouco e tradutora. Moradora da internet, acorda cedo pra varrer a calçada cheia de memes do dia anterior. Redes sociais: Twitter Facebook Instagram

Sobre o Blog

Vamos contar pra você, do nosso jeitinho, as histórias que mais quicaram na internet durante esta semana e que você talvez tenha perdido, ou não.

Quicando