Topo
Quicando

Quicando

Ciência explica por que você pegaria sua versão do sexo oposto do Snapchat

Susana Cristalli

2014-05-20T19:11:27

14/05/2019 11h27

Na semana passada teve um inusitado retorno do Snapchat às timelines mundiais, por conta do filtro de criança que todo mundo queria testar. Só que, como nem todo mundo teve acesso ao filtro baby de primeira, uma galera aproveitou a onda pra usar um outro filtro disponível e ver como ficaria sua carinha se fosse do sexo oposto.

E não foi nada raro ver gente (hetero ou bi, no caso) dizendo que pegaria a si mesmo(a) na versão homem ou mulher.

Tá bom que o filtro parece ter sido mesmo desenvolvido para deixar todo mundo atraente, para que dê vontade de compartilhar a foto. Mas foi notável quanta gente ficou se autopaquerando.

Bom, o senso comum diz que os opostos se atraem, e em muitos casos é verdade. Mas isso de sentir atração por alguém com traços muito parecidos aos nossos é uma questão que vai além de filtros e aplicativos.

quão narcisismo é usar o filtrinho de hômi do snapchat e ter um crush em si mesmo? uma amiga quer saber

— rompompompom (@luciele) May 11, 2019

Na verdade, já foi objeto de estudos sérios, que chegaram à conclusão de que a reação instintiva do ser humano é sentir atração por quem o faz lembrar de si mesmo (seja do sexo oposto ou não), e procurar parceiros fisicamente diferentes é uma construção social.

E sabe quem é muito parecido com a gente? Nossos pais. Opaa, será que essa conversa tá ficando esquisita?

Mas é isso mesmo. Este estudo conduzido em 2010 pelo psicólogo Chris Fraley da Universidade do Illinois funcionou da seguinte forma: primeiro os participantes viram uma série de fotos de estranhos e avaliaram o quanto os achavam atraentes. Só que, antes de algumas dessas fotos, eram mostradas subliminarmente outras fotos, de outras pessoas. Para metade deles foi mostrada subliminarmente a foto subliminar de um dos pais, e para a outra metade a foto de uma pessoa aleatória. Os que viram, ainda que por frações de segundo, a foto do pai ou mãe, tenderam a achar a foto seguinte mais atraente.

Um segundo experimento fez os participantes avaliarem seu nível de atração sexual por imagens que eram de dois rostos fundidos em um. Alguns desses rostos continham traços dos próprios entrevistados e, adivinha, foram melhor avaliados.

Indo ainda mais fundo nessa piração, vale lembrar que o próprio Freud já havia sugerido lá em 1913, no livro "Totem e Tabu", que a aversão ao incesto é ensinada e mantida através de leis na maioria das culturas (dando aquela grosseira resumida na obra do pai da psicanálise aqui). Porque, basicamente, se deixar na mão do subconsciente o ser humano vai atrás de quem se parece consigo mesmo e isso seria bem… zuado.

Nossa, mas a gente não estava falando de filtro de Snapchat? Pois é, calma lá, também tem muita gente que deu graças a Deus por ter nascido do jeito que nasceu pois se achou feio ou feia de doer!

E você, se autopaquerou ou não?

Sobre as autoras

Juliana Kataoka, jornalista e redatora, trabalhou no BuzzFeed Brasil, em agências de publicidade e outros veículos. Não consegue sair das redes sociais, mas jura que tenta. Redes sociais: Twitter Facebook Instagram
Susana Cristalli, jornalista de formação, redatora de tudo um pouco e tradutora. Moradora da internet, acorda cedo pra varrer a calçada cheia de memes do dia anterior. Redes sociais: Twitter Facebook Instagram

Sobre o Blog

Vamos contar pra você, do nosso jeitinho, as histórias que mais quicaram na internet durante esta semana e que você talvez tenha perdido, ou não.